Testemunhos de Clientes

Relatório de conclusão de processos de Coaching Executivo

OBS. Os nomes dos clientes foram omitidos por questões de Ética Profissional.

Cliente 1

1 – Situação original
Como você se sentia, antes e iniciar a 1ª. seção do coaching? Quais as suas principais angústias, e o que estava sendo difícil para você?

R: A alta demanda de trabalho, consultores me interrompendo, telefone interrompendo, e-mail, WhatsApp, metas… Não conseguia dar foco no que estava fazendo e sempre tinha a sensação no final do dia de que não tinha produzido.

Que outras opções você já havia tentado, como solução?

R: Fiz o curso Empretec que realmente é muito bom, mas acredito que o processo de Coaching é algo mais individualizado, que trabalha nos pontos que eu preciso melhorar e coloquei como meta.

O que te motivou a vir fazer o coaching comigo?

R: Entender que precisava de ajuda, que precisava me organizar para ser mais produtivo e focado nas minhas atividades, conseguir criar tempo dentro do tempo disponível.

2 – Como você se sentiu, durante a evolução das seções de coaching?
Tente fazer uma descrição quanto ao que foi evoluindo gradativamente.

R: Primeiro ponto que senti um grande destaque foi na questão da definição das dimensões das metas, separar ajudou a clarear os objetivos. O segundo ponto que achei de estrema relevância no processo de coaching foi a definição do meu IKIGAI. Ao definir o meu IKIGAI, refiz as minhas metas com uma dimensão muito mais profunda e de longo prazo. O 3º ponto que percebi uma grande mudança foi no foco que consigo dar para as minhas atividades que estou realizado, o tempo esticou e consigo dar atenção para cuidar dos aspectos pessoais, profissionais e espirituais.

3 – Após o descobrimento de seu IKIGAI, do estabelecimento das metas, o alinhamento delas com o seu IKIGAI e a elaboração do seu plano de ação, qual é o seu sentimento quanto sua situação atual?

R: De grande transformação, empoderamento, consigo realizar muito mais com o mesmo tempo. As metas mudaram de aspectos totalmente materiais para um aspecto mais profundo, de objetivo de Vida!

4 – Quanto a sua motivação e empoderamento para transformação do seu plano de ação em PLANO EM AÇÃO, como você se sente?

R: Foi uma transformação, pois ao colocar as Metas com foco no IKIGAI, dividir os metas em ações diárias e monitorar as minhas ações, percebo que a realização das metas ficou realizável e prazerosa.

5 – Como você se sente, quanto a sua autonomia em desenvolver o PLANO EM AÇÃO? Consegue tocar sozinho, ou sente necessidade de acompanhamento, monitoração, apoio e intervenção para isto?

R: Acredito que no momento preciso colocar em Ação o conhecimento apreendido, para entrarmos em uma fase 2 do Coaching.

6 – Quais as razões que o levariam a indicar um profissional a se permitir o desenvolvimento de um processo de coaching?

R: Saber que o processo irá gerar uma revolução, uma transformação na Vida da pessoa, nas dimensões; Pessoal, Profissional e Espiritual (para quem busca).

Cliente 2

1 – Situação original
Como você se sentia, antes e iniciar a 1ª. seção do coaching? Quais as suas principais angústias, e o que estava sendo difícil para você?

R: Me sentia totalmente desmotivada, com dificuldade em me relacionar com as pessoas, sem preparo para uma conversa mais formal com os colaboradores, e muita dificuldade de segurar minha ansiedade.

Que outras opções você já havia tentado, como solução?

R: Leitura de livros de autoajuda e curso para aprimorar e melhorar os processos nos projetos.

O que te motivou a vir fazer o coaching comigo?

R: No primeiro momento não tive escolha a empresa apresentou e eu fui sem saber ao certo o que ia ocorrer. Mas durante o processo foi muito bom… eu consegui controlar muito mais minha ansiedade e isso me ajudou até mesmo na parte familiar.

2 – Como você se sentiu, durante a evolução das seções de coaching?
Tente fazer uma descrição quanto ao que foi evoluindo gradativamente.

R: Gostei desde o primeiro momento, o coaching foi muito atencioso e soube ouvir de forma agradável e confiável o que eu sentia e tinha pra dizer.

3 – Após o descobrimento de seu IKIGAI, do estabelecimento das metas, o alinhamento delas com o seu IKIGAI e a elaboração do seu plano de ação, qual é o seu sentimento quanto sua situação atual?

R: Fiquei bastante feliz e motivada, e agora tenho metas bem estabelecidas a serem alcançadas… Este processo me fez uma pessoa mais forte confiante para enfrentar os problemas que aparecem.

4 – Quanto a sua motivação e empoderamento para transformação do seu plano de ação em PLANO EM AÇÃO, como você se sente?

R: Me sinto totalmente confiante em aplicar as ações que consegui enxergar e planejar durante o processo de coaching e com certeza o retorno será de melhorias constantes.

5 – Como você se sente, quanto a sua autonomia em desenvolver o PLANO EM AÇÃO? Consegue tocar sozinho, ou sente necessidade de acompanhamento, monitoração, apoio e intervenção para isto?

R: Ainda sinto necessidade de acompanhamento porque não é um processo rápido. É uma mudança grande e acredito ser saudável e viável ter alguém com mais experiência para nos guiar.

6 – Quais as razões que o levariam a indicar um profissional a se permitir o desenvolvimento de um processo de coaching?

R: Acho que todas as pessoas deveriam passar por um processo de coaching, o ser humano não está preparado para se conhecer sozinho é preciso alguém com bastante experiência, sabedoria e inteligência emocional para apoiar, acompanhar e intervir quando necessário independente do cargo que a pessoa ocupa dentro de uma empresa.

Cliente 3

1 – Situação original
Como você se sentia, antes e iniciar a 1ª. seção do coaching? Quais as suas principais angústias, e o que estava sendo difícil para você?

R: Minhas principais dificuldades eram relacionadas a como colocar em prática, todo o potencial que tenho, como definir minhas metas e como executar cada uma delas. Apesar de sentir que tenho grande potencial, também sentia um bloqueio, algo dentro de mim me impedia manifestar toda minha capacidade.

Que outras opções você já havia tentado, como solução?

R: Não havia tentando nenhum tipo de ajuda profissional, procurei ler em relação a assuntos relacionados.

O que te motivou a vir fazer o coaching comigo?

R: Principalmente por já conhecer e gostar da abordagem, o fato que a EMPRESA tenha proporcionado esse trabalho também foi um fator determinante.

2 – Como você se sentiu, durante a evolução das seções de coaching?
Tente fazer uma descrição quanto ao que foi evoluindo gradativamente.

R: A medida em que fui entendendo, como organizar cada campo “Pessoal, Profissional, espiritual e Familiar”, isso foi me ajudando a me sentir mais seguro também a vislumbrar a possibilidade de realizar as metas que coloquei em cada um desses campos.
Acredito que um dos pontos mais importantes foi quando identificamos a necessidade de uma intervenção baseada em situações apresentadas na minha linha do tempo, onde identificamos os fatos que estavam gerando um bloqueio psicológico, após a reunião onde houve a intervenção, já me senti mais leve, a sensação foi de trazer os fatos e as emoções à tona e reviver entendendo o porquê que as coisas aconteceram da forma como aconteceram e isso me deu uma grande sensação de liberdade e de alívio por tirar esse “peso” que eu já vinha carregando a mais de quarenta anos.

3 – Após o descobrimento de seu IKIGAI, do estabelecimento das metas, o alinhamento delas com o seu IKIGAI e a elaboração do seu plano de ação, qual é o seu sentimento quanto sua situação atual?

R: Preparado para superar meus records, sinto uma grande convicção de que coisas boas irão acontecer!!!

4 – Quanto a sua motivação e empoderamento para transformação do seu plano de ação em PLANO EM AÇÃO, como você se sente?

R: Agora é uma questão de foco e disciplina, o caminho já está traçado!!! Sinto que essa palavra “Empoderamento” expressa perfeitamente o que estou sentido, estou assumindo o controle, levando minha vida profissional, familiar, pessoal e espiritual, para o destino que “EU” quero.

5 – Como você se sente, quanto a sua autonomia em desenvolver o PLANO EM AÇÃO? Consegue tocar sozinho, ou sente necessidade de acompanhamento, monitoração, apoio e intervenção para isto?

R: É uma questão de praticar, a dificuldade que sinto no momento é quanto a organização do tempo, mas também acredito que com a prática eu vou conseguir. Creio que um acompanhamento, monitoração e apoio seriam muito importantes.

6 – Quais as razões que o levariam a indicar um profissional a se permitir o desenvolvimento de um processo de coaching?

R: É um processo que serve para tudo na vida, certamente é um caminho que pode levar uma pessoa a felicidade, conhecer sua essência!!! É como um grande atleta, ele possui uma enorme capacidade mas precisa de alguém que esteja ao seu lado orientando, ajudando a se organizar e vencer suas barreiras para poder atingir o máximo do seu potencial.

Cliente 4

1 – Situação original
Como você se sentia, antes e iniciar a 1ª. seção do coaching? Quais as suas principais angústias, e o que estava sendo difícil para você?

R: Sentia que já estava preparado. Vejo que não posso fazer tudo, tenho que delegar e preciso melhorar a organização do tempo e a comunicação. Foco e Disciplina!

Que outras opções você já havia tentado, como solução?

R: Não havia tentado diretamente, mas já participei de outros treinamentos semelhantes.

2 – Como você se sentiu, durante a evolução das seções de coaching?
Tente fazer uma descrição quanto ao que foi evoluindo gradativamente.

R: Me sinto bem, percebo que ao acordar sempre vem à mente o propósito.
Confesso que a rotina é complexa e não pude dar o tempo que gostaria de ter dado ao processo. Foi bom o sentimento de “pressão”. Ajudou a organizar algumas coisas e a tomar algumas decisões.

3 – Após o descobrimento de seu IKIGAI, do estabelecimento das metas, o alinhamento delas com o seu IKIGAI e a elaboração do seu plano de ação, qual é o seu sentimento quanto sua situação atual?

R: Sempre me guiei pelo dia a dia, sem um real motivo.
Muito bom ter um propósito, ter metas. O sentimento é que não posso deixar isso se tornar mais um treinamento e não dar sequência, esse é o desafio.

4 – Quanto a sua motivação e empoderamento para transformação do seu plano de ação em PLANO EM AÇÃO, como você se sente?

R: Ainda não consegui colocar tudo em prática. Mas sinto que será totalmente possível, a semente já está plantada.

5 – Como você se sente, quanto a sua autonomia em desenvolver o PLANO EM AÇÃO? Consegue tocar sozinho, ou sente necessidade de acompanhamento, monitoração, apoio e intervenção para isto?

R: Aquilo que eu mesmo devo realizar não tenho problemas. Mas não vejo problemas em ter apoio.

6 – Quais as razões que o levariam a indicar um profissional a se permitir o desenvolvimento de um processo de coaching?

R: A vida sem um propósito fica muito vaga. Esse processo ajuda muito a no mínimo levantar-se da cama para um dia mais prazeroso.

Cliente 5

1 – Situação original
Como você se sentia, antes e iniciar a 1ª. seção do coaching? Quais as suas principais angústias, e o que estava sendo difícil para você?

R: Me sentia um pouco perdido em termos de entendimento de algumas condutas minhas em relação aos afazeres do dia a dia do trabalho.

Que outras opções você já havia tentado, como solução?

R: Tentei me forçar a algumas práticas de estudo sem sucesso.

O que te motivou a vir fazer o coaching comigo?

R: A oportunidade que a Empresa me deu e fiquei feliz de ter sido vc o profissional responsável.

2 – Como você se sentiu, durante a evolução das seções de coaching?
Tente fazer uma descrição quanto ao que foi evoluindo gradativamente.

R: Em resumo ajudou a me entender, me reconhecer melhor em termos de condutas diante do trabalho e da vida. Com uma maior consciência, tudo melhor para partir para uma ação mais assertiva.

3 – Após o descobrimento de seu IKIGAI, do estabelecimento das metas, o alinhamento delas com o seu IKIGAI e a elaboração do seu plano de ação, qual é o seu sentimento quanto sua situação atual?

R: Clareza dos meus objetivos e segurança que estão totalmente alinhados em todos os aspectos da minha vida.

4 – Quanto a sua motivação e empoderamento para transformação do seu plano de ação em PLANO EM AÇÃO, como você se sente?

R: Super motivado e já acionando.

5 – Como você se sente, quanto a sua autonomia em desenvolver o PLANO EM AÇÃO? Consegue tocar sozinho, ou sente necessidade de acompanhamento, monitoração, apoio e intervenção para isto?

R: Neste ponto sinto que agora só depende de mim mesmo.

6 – Quais as razões que o levariam a indicar um profissional a se permitir o desenvolvimento de um processo de coaching?

R: Realmente reconheci o quanto pode ajudar um processo como este. Ampliou muito minha percepção a respeito.

Cliente 6

1 – Situação original
Como você se sentia, antes e iniciar a 1ª. seção do coaching? Quais as suas principais angústias, e o que estava sendo difícil para você?

R: Dentro da atuação na atividade de suporte, o ponto mais difícil é relação com clientes nos momentos mais tensos e a falta de apoio interno nas decisões e pareceres quando estes desagradam aos clientes.

Que outras opções você já havia tentado, como solução?

R: Como característica pessoal sempre usei da observação de pessoas que considero referência para tentar melhorar minha atuação e evoluir nessas relações.

O que te motivou a vir fazer o coaching comigo?

R: A oportunidade de me conhecer e ter uma orientação de como ter uma evolução e em quais pontos seriam mais necessários minha atuação.

2 – Como você se sentiu, durante a evolução das seções de coaching?
Tente fazer uma descrição quanto ao que foi evoluindo gradativamente.

R: Primeiramente identifiquei pontos que não considerava relevante como a minha dimensão espiritual, além de entender alguns pontos que não estavam devidamente resolvidos e que acabavam por me limitar em análises e decisões.

3 – Após o descobrimento de seu IKIGAI, do estabelecimento das metas, o alinhamento delas com o seu IKIGAI e a elaboração do seu plano de ação, qual é o seu sentimento quanto sua situação atual?

R: Encontra-se muito melhor que me ponto de partida, mesmo ainda sendo necessário ter muito foco e disciplina no acompanhamento e monitoramento das metas estabelecidas.

4 – Quanto a sua motivação e empoderamento para transformação do seu plano de ação em PLANO EM AÇÃO, como você se sente?

R: Muito confiante, porém acho imprescindível uma segunda fase do coaching para que tenhamos essa orientação de como prosseguir.

5 – Como você se sente, quanto a sua autonomia em desenvolver o PLANO EM AÇÃO? Consegue tocar sozinho, ou sente necessidade de acompanhamento, monitoração, apoio e intervenção para isto?

R: Sinto a necessidade de um acompanhamento para orientação e possíveis correções que se façam necessárias.

6 – Quais as razões que o levariam a indicar um profissional a se permitir o desenvolvimento de um processo de coaching?

R: A possibilidade de ser uma pessoa melhor e consequentemente um melhor profissional.

Cliente 7

1 – Situação original
Como você se sentia, antes e iniciar a 1ª. seção do coaching? Quais as suas principais angústias, e o que estava sendo difícil para você?

R: Me sentia meio perdido com relação as minhas metas pessoais e profissionais. Organizar elas foi de grande ajuda para melhorar o resultado. O coaching foi sugerido para entendermos melhor como nos organizar e identificar os pontos que precisavam de atenção e quais seriam as melhores ações a serem tomadas.

Que outras opções você já havia tentado, como solução?

R: Não havia tentando nenhuma outra solução.

O que te motivou a vir fazer o coaching comigo?

R: A necessidade por mudança, pois o que estava sendo praticado não estava gerando o resultado esperado.

2 – Como você se sentiu, durante a evolução das seções de coaching?
Tente fazer uma descrição quanto ao que foi evoluindo gradativamente.

R: Me senti mais confortável com o que precisava ser feito para chegar no meu IKIGAI.

3 – Após o descobrimento de seu IKIGAI, do estabelecimento das metas, o alinhamento delas com o seu IKIGAI e a elaboração do seu plano de ação, qual é o seu sentimento quanto sua situação atual?

R: Sinto que tenho melhorado tanto no aspecto profissional como no pessoal, me sinto mais preparado para atingir os objetos, que agora estão mais claros.

4 – Quanto a sua motivação e empoderamento para transformação do seu plano de ação em PLANO EM AÇÃO, como você se sente?

R: Tenho mais claro as minhas metas e o que fazer para alcança-las.

5 – Como você se sente, quanto a sua autonomia em desenvolver o PLANO EM AÇÃO? Consegue tocar sozinho, ou sente necessidade de acompanhamento, monitoração, apoio e intervenção para isto?

R: Acredito que na maioria das minhas metas eu consiga seguir o plano de ação, em algumas ainda vou precisar de um acompanhamento ou adquirir novos conhecimentos.

6 – Quais as razões que o levariam a indicar um profissional a se permitir o desenvolvimento de um processo de coaching?

R: Acredito que o mais importante neste trabalho foi nos permitir enxergar melhor nossas metas, quais seriam as melhores formas de organizá-las e definir o plano de ação a ser seguido.

Cliente 8

1 – Situação original
Como você se sentia, antes e iniciar a 1ª. seção do coaching? Quais as suas principais angústias, e o que estava sendo difícil para você?

R: Eu sempre soube que deveria melhorar muito, mas isso nunca me causou angústia ou sentimentos de dificuldades.

Que outras opções você já havia tentado, como solução?

R: Nenhuma.

O que te motivou a vir fazer o coaching comigo?

R: O entendimento que sempre existe a possibilidade de melhoria, e uma ajuda profissional sempre potencializa esta melhoria.

2 – Como você se sentiu, durante a evolução das seções de coaching?

R: Motivado no sentido de que a minha melhoria pessoal e profissional estava diretamente ligado à definição de metas, possíveis de serem cumpridas.

Tente fazer uma descrição quanto ao que foi evoluindo gradativamente.

R: Entendi que eu já possuía metas para serem cumpridas, mas que não estavam bem definidas nem organizadas, entendi que falta de foco e desorganização atrapalhariam meu crescimento, entendi que algumas responsabilidades de liderança eu deveria assumi-las pois são importantes para o meu crescimento e obtenção dos meus objetivos, apesar de não ter dado a devida importância por eu não achar que eram de minha responsabilidade.

3 – Após o descobrimento de seu IKIGAI, do estabelecimento das metas, o alinhamento delas com o seu IKIGAI e a elaboração do seu plano de ação, qual é o seu sentimento quanto sua situação atual?

R: Que ainda tenho muito que fazer e que pontos importantes para chegar tenho que ter bastante empenho.

4 – Quanto a sua motivação e empoderamento para transformação do seu plano de ação em PLANO EM AÇÃO, como você se sente?

R: Após ter entendido como montar este plano de ação e sido orientado para o caminho, tenho grande motivação.

5 – Como você se sente, quanto a sua autonomia em desenvolver o PLANO EM AÇÃO? Consegue tocar sozinho, ou sente necessidade de acompanhamento, monitoração, apoio e intervenção para isto?

R: Eu acredito que consigo desenvolver bem, mas sinto que preciso de monitoramento e apoio.

6 – Quais as razões que o levariam a indicar um profissional a se permitir o desenvolvimento de um processo de coaching?

R: Por acreditar que o processo pode ajudar a descobrir e organizar, e entender o caminho necessário para atingir metas de crescimento.